Publicações para "Tecnologia"

Obstinação, intensidade e perfeccionismo

Biografia de Steve Jobs por Wlter IsaacsonAcabei de ler a Biografia de Steve Jobs por Walter Isaacson. O livro é fabuloso, conta com detalhes a vida de Jobs, de forma imparcial, sincera e democrática, mostra suas melhores e piores características.

Steve não tinha a inteligência como essência, nem mesmo foi um gênio, ou talvez tenha sido um gênio da criação. Resumo Steve Jobs em 3 palavras:

Obstinação:

Steve teve uma percepção única da capacidade de criação do homem, do quanto somos capazes de fazer, criar e influenciar o meio, e viveu isso, realmente viveu isso. Via na simplicidade a solução para tudo e acreditava na criação de produtos únicos, perfeitos e úteis para as pessoas, mas para muitos produtos inconcebíveis.  Com os funcionários da Apple, criou o que ficou conhecido como  “campo de distorção da realidade”, onde convencia os colegas a fazerem o que todos acreditavam que não era possível, e então acabavam fazendo, inventando soluções e conceitos ou quebrando regras e padrões.

Na criação de produtos, acreditava que as pessoas não sabiam o que queriam, criava produtos para mostrar a elas o que elas precisavam, usava uma frase de Ford como exemplo: “Se eu perguntasse aos consumidores o que eles queriam, teriam dito: um cavalo mais rápido”. Jobs acreditava em suas ideias e simplesmente fazia o que era necessário para executá-las.

Intensidade:

Podemos entender intensidade como o valor de grandeza de uma força. Jobs viveu no limite, em tudo que fazia tinha a doação de um leão defendendo sua comida e a sinceridade de uma criança cheia de medo. Era capaz de ficar dias trabalhando sem parar na busca de uma solução. Na relação com as pessoas, ou você era um gênio ou não prestava, para os produtos, ou era uma porcaria ou o melhor produto que já tinha visto.

Jobs necessitava estar no controle de tudo, desde a ideia inicial de um produto até os processos de venda. Nenhum detalhe passava desapercebido, nunca!

Perfeccionismo:

A busca da perfeição era insana, ao ponto de derrubar um prédio porque a posição das escadas e do elevador estava ruim ou jogar fora o trabalho de 6 meses de uma equipe para alterar a posição do vidro na tela no IPhone.

Jobs buscava a simplicidade em tudo. Para ele, o produto ideal tinha o equilíbrio entre a ciência e a humanidade, a perfeição estava na interseção entre a ciência e o humano, para Steve, chegar a este ponto era Magia e Arte. Muitos dos grandes criadores provocavam inovação porque compreendiam a totalidade de uma situação, outros faziam pelo domínio dos detalhes, Jobs fez as duas coisas, insistentemente. Sempre buscou a magia e a arte em seus produtos.

Steve tinha uma relação muito forte com a música, apreciava Bob Dylan, sua música favorita era Like a Rolling Stone:

Trecho final do livro.

Steve Jobs:

O que me incentivava? Acho que a maioria das pessoas criativas quer manifestar o seu apreço por ser capaz de tirar partido do trabalho feito por outros antes. Não inventei a língua ou a matemática que uso. Preparo pouco da comida que como, e nenhuma das roupas que visto. Tudo que faço depende de outros membros da nossa espécie e dos ombros sobre os quais ficamos em pé. E muitos de nós querem dar uma contribuição para a nossa espécie também e acrescentar alguma coisa ao fluxo. Tem a ver com tentar expressar algo da única maneira que a maioria de nós e capaz de fazer – porque não somos capazes de escrever as canções de Bob Dylan, ou as peças de Tom Stoppard. Tentamos usar os talentos que temos para expressar nossos sentimentos profundos, para mostrar nosso apreço por todas as contribuições feitas antes de nós a para acrescentar algo ao fluxo. Foi isso que me motivou.

Walter Isaacson:

Numa tarde ensolarada, quando não se sentia bem, Jobs sentou-se no Jardim atrás da casa e refletiu sobre a morte. Falou de suas experiências na Índia quase quarenta anos antes, de seus estudos sobre o budismo e de suas opiniões sobre a reencarnação e transcendência espiritual. “Sobre acreditar em Deus, sou mais ou menos meio a meio”, disse. “Durante a maior parte de minha vida achei que deve haver algo mais na nossa existência do que aquilo que vemos.”

Ele admitiu que, diante da morte, pode estar superestimando as chances, pelo desejo de acreditar numa outra vida. “Gosto de pensar que alguma coisa sobrevive quando morremos”, disse. “É estranho pensar que a gente acumula tanta experiência, talvez um pouco de sabedoria, e tudo simplesmente desaparece. Por isso quero realmente acreditar que alguma coisa sobrevive, que talvez nossa consciência perdure.”

Ficou em silêncio por um bom tempo. “Mas, por outro lado, talvez seja apenas como um botão de liga-desliga”, prosseguiu. “Clique! E a gente já era.”

Fez outra pausa e sorriu de leve. “Talvez seja por isso que eu jamais gostei de colocar botões de liga-desliga nos aparelhos da Apple.”

Já quando estava muito doente, em seu quarto, alguns meses antes de morrer, Jobs falou para Isaacson: “Eu fiz tudo que podia ter feito.

E nós, será que fazemos tudo que podemos fazer?!

Tudo à sua volta, foi construído por pessoas nada mais inteligentes do que você, e você pode mudar isso

Neste período sem escrever aqui no Blog, faleceu Steve Jobs. Não vou dizer o quanto ele foi, e ainda é, importante para mim como profissional da área de tecnologia e para o mundo atual. Todos sabemos o quanto seus pensamentos e criações representam na sociedade e no comportamento do mundo conectado.

Gostaria apenas de compartilhar um vídeo de Steve Jobs, recentemente publicado na Internet, após a sua morte, onde ele fala em menos de um minuto sobre a sua visão sobre o mundo:

Tradução Livre:

Quando você está crescendo, você tende a ser ensinado que o mundo é como é, e que a sua vida se resume a ser vivida dentro do mundo. Tentar não quebrar muito a cabeça. Tentar construir uma bela família, se divertir, economizar um pouco de dinheiro.

Essa é uma vida muito limitada. A vida pode ser muito mais abrangente a partir do momento em que você descobrir um simples fato: tudo à sua volta, que você chama de vida, foi construído por pessoas nada mais inteligentes do que você, e você pode mudar tudo isso, você pode influenciar tudo isso, você pode construir coisas que outras pessoas irão utilizar.

Uma vez que você aprender isso, você nunca mais será o mesmo.

Steve Jobs é brilhante, não pelas suas criações, mas pela capacidade de perceber e incorporar em sua vida como ninguém, o verdadeiro papel de um sujeito na sociedade: “mudar tudo, influenciar tudo, construir coisa que irão fazer a diferença na vida das pessoas”.

Para quem ainda não assistiu o discurso de Steve Jobs na graduação do curso de Ciência da Computação em Stanford, assista, é o mais inspirador conjunto de palavras disponível na Internet:

Stay hungry! Stay foolish!

Slides – Presença das Empresas nas Redes Sociais

Na Feira do Empreendedor 2010, promovida pelo SEBRAE do Rio Grande do Sul, tive a oportunidade de apresentar um painel com o tema “Presença das Empresas nas Redes Sociais”. Falei sobre o cenário atual de Internet, o que nos trouxe até este turbilhão de mudanças, o perfil dos usuário na web, principalmente os jovens, como as empresas podem se inserir de forma qualificada no mundo das mídias sociais, a importância do conteúdo, qual a postura que as empresas devem ter e os caminhos e estratégias a serem seguidas.

Presença das Empresas nas Redes Sociais – Palestra Feira do Empreendedor RS – 2010

Recomendo também este vídeo do Waldez Ludwig, onde ele fala sobre inovação e criatividade, os princípios que devemos ter para gerar inovação de fato, agregando valor a sociedade:

Slides – Midias sociais, tecnologia, internet e inovação

Está difícil de alcançar a regularidade de textos aqui no Blog. Ainda falta a disciplina e o hábito de escrever com frequência.

Bem, aproveito para compartilhar slides de uma palestra apresentada para empresários da área de tecnologia em Ijuí e região.

Nesta palestra foram abordados os temas: mídias sociais e o impacto que estas ferramentas tem causado na sociedade, como os sujeitos e empresas podem fazer parte destas mudanças e as tendências nas áreas de tecnologia e principalmente mídias sociais.

Vídeo criado pelo Reclame Aqui que trata das mudanças nas empresas devido ao novo perfil que consumidores:

A internet mudando o comportamento das pessoas e organizações

Por toda a evolução da humanidade, passamos por longos períodos de extenuação e também por períodos de drásticas e relevantes mudanças, estes últimos, moldaram a sociedade contemporânea em que vivemos. Nos momentos mais importantes ao longo da história, entre os que geraram maiores mudanças, é notável a presença ou surgimento de mecanismos que contribuem para melhoria na forma de comunicação e interação entre a sociedade, podemos citar o surgimento de qualquer forma de linguagem ou idioma, criação da palavra escrita, renascimento e vários outros.

Com as recentes tecnologias, e através delas o surgimento da Internet, é inegável que estamos vicenciando no mundo um período de intensa revolução da informação e comunicação. Não há precedentes para tal revolução, hoje a tecnologia possibilita a qualquer sujeito o acesso instantâneo a todo tipo de informação e ainda permite às pessoas compartilhar conteúdo e se relacionar com pessoas em todos os locais do mundo. Além disso, as pessoas passaram a ter mais poder e voz para se expressar e manifestar suas ideias.

A tecnologia é hoje uma ferramenta ou um meio que conduz a humanidade para mundanças consideráveis nas formas de ação e interação entre os membros da sociedade. Através da Internet tudo se conecta a todos, e os atores deste cenário somos nós, os cidadãos. Em 2011 temos 1,8 bilhões de usuários na Internet, número que vem crescendo continuamente. Além do número de usuário, a tecnologia também vem mudando o comprotamento das pessoas, os sujeitos são ávidos na busca e consumo de informação e também buscam contribuir e interagir neste mundo paralelo chamado Internet.

A Internet se consolida cada vez mais como um eficiente canal de comunicação entre pessoas-organizações-pessoas. Instituições que exploram a Internet em sua potencialidade melhoram seus resultados e aumentam seus lucros. Atualmente, é imprescindível a qualquer tipo de organização possuir algum tipo de inserção na Internet. Mas, além disso, estas entidades precisam estas preparadas para se relacionarem com a sociedade através da internet.

Portanto, podemos concluir que o comportamento das pessoas vem mudando com a Internet, os “internautas” buscam enriquecer suas experiências enquanto sujeitos e melhorar sua qualidade de vida através da rede. As entidades que souberem oferecer a estas pessoas o que elas buscam, e souberem se beneficiar disso, estarão em destaque. No segmento das organizações, as empresas que se adaptarem melhor e mais rápido ao conjunto de mundanças da sociedade, irão se sobressair.