Publicações para "Internet / Web"

A Internet e as Mídias Sociais como Ferramenta para as Empresas

O artigo abaixo foi escrito em conjunto com Mirian Quadros para a Revista Stampa de Ijuí:

Estar presente virtualmente na internet, hoje, é requisito básico para qualquer um. Seja um adolescente em contato com a turma de amigos, um profissional em busca de oportunidades ou uma avó matando a saudade de netos distantes. A internet, especialmente através dos sites de relacionamento, permite uma participação mais democrática e ativa dos usuários na rede. Oportunidade que também é e deve ser explorada por empresas, sejam elas micro, pequenas, médias ou grandes. Todos têm espaço e voz na rede, inclusive de forma gratuita, basta ter criatividade e disposição.

De acordo com dados do Ibope, publicados em outubro do ano passado, o Brasil já soma 41,6 milhões usuários ativos na internet. Considerando o uso da rede em todos ambientes, como trabalho, residências, escolas, lan houses, bibliotecas e telecentros, o número sobe para 67,5 milhões. Outra pesquisa, desta vez da empresa de consultoria digital E.Life, revela que 47% dos brasileiros passa mais de 40 horas semanais na internet. Destes, 63,2% estão conectados no Twitter, 44,7%, em blogs, e 28,8%, no Orkut. Números como esses – que a cada dia crescem – são um dos principais argumentos para a inserção de empresas no ambiente virtual. Estar presente na internet é essencial. Fazer um bom uso dos espaços virtuais de comunicação é um importante diferencial competitivo.

“Hoje, qualquer empresa precisa estar presente na internet, mas não necessariamente através de um site”, observa Cledison Eduardo Fritzen, diretor da 13 Bits, empresa ijuiense de desenvolvimento de sites. Para ele, ainda há uma visão entre muitos empresários de que para se considerar inserida no mundo virtual, basta que a empresa crie um site institucional e o mantenha on-line. “Ainda há uma compreensão de que basta ter um site, apenas por ter, apenas para estar na internet. No entanto, é preciso que os empresários mudem essa visão e pensem no site como uma ferramenta”.

Web 2.0 – Para conseguir entender as oportunidades e as formas de explorar a internet para os negócios, é preciso antes entender a internet hoje. Com o desenvolvimento das tecnologias digitais o mundo experimenta a chamada Web 2.0, em que a maior parte do conteúdo disponível na rede não é gerada por grandes empresas de comunicação e tecnologia e, sim, por usuários comuns. Esse novo cenário colaborativo justifica o sucesso de sites como o Wikipedia, o Orkut, o Youtube e mais recentemente o boom do Twitter. O usuário da internet hoje não quer apenas obter informações na rede, ele quer opinar, que fornecer informações, quer ser visto e ouvido.

Cledison também lembra outro fator importante: as novas gerações de consumidores. “Os jovens hoje com 17, 18 anos cresceram em meio a essas novas tecnologias, num ambiente on-line. Eles usam a internet diariamente, para tudo, inclusive para tomar decisões de compra”. Ter em vista estes jovens e as futuras gerações como públicos-alvo da empresa requer uma estratégia de comunicação que fale a língua deles. E essa linguagem é a da internet.

Relacionamento e informação – Para Cledison, interagir com o usuário e oferecer conteúdo relevante são os principais segredos para garantir uma presença qualificada na internet. Segundo ele, é preciso ver a rede não apenas como mais um espaço exclusivo para vendas. “A internet é o lugar ideal para criar um relacionamento com o cliente, para fortalecer a marca. A venda será uma conseqüência disso”. Por isso, a regra número um é não focar a presença da empresa na web apenas na divulgação de produtos. Oferecer conteúdo interessante e canais de comunicação com o usuário são formas mais eficazes de atrair e manter clientes fiéis à empresa. Artigos, notícias, links para outros sites são opções para quem quer atrair internautas para sua página.

Ouvir as pessoas é outro segredo de sucesso na web. Para isso, as redes sociais são o caminho mais fácil. Manter perfis no Orkut, no Facebook e Twitter – hoje os sites mais populares – são alternativas fáceis e que não têm custo. Dependem apenas da disponibilidade e da criatividade do empresário para explorar as redes da melhor forma. “A participação das empresas, especialmente do interior, ainda é fraca. Falta maturidade”. Para Cledison, no Orkut, por exemplo, a inserção das empresas ainda se limita ao envio de spams, mensagens massificadas, enviadas para muitas pessoas, ou então apenas à divulgação dos produtos e promoções. “Se as empresas querem valorizar sua participação no Orkut deveriam ouvir seus clientes e seguidores, deveriam valorizar as pessoas e não apenas buscar a venda”.

Outra questão fundamental é a atualização. “Mais de 90% das empresas que têm site na internet, não o mantêm atualizado”, revela Cledison. Essa falha joga por água a baixo todo o esforço e investimento de construção de um website. “O usuário da internet hoje é dinâmico. Por isso as mídias sociais fazem tanto sucesso, porque oferecem informações novas constantemente. Quando o internauta visita um site e encontra conteúdo desatualizado ele dificilmente voltará”.

Site ou redes sociais? – Definido o ingresso no meio digital, é preciso definir de que forma a empresa estará presente na rede. Investir num site ou optar por aderir aos sites de relacionamento? Para Cledison, o meio não é o mais importante, e sim a forma como a ferramenta será explorada. Criar uma página da empresa e atualizá-la constantemente com conteúdos que sejam interessantes aos usuários, com serviços úteis e eficientes, pode trazer resultados positivos, tanto quanto estar presente em uma rede social.

Os blogs também são alternativas a serem levadas em conta. De fácil acesso e administração, é uma ferramenta direta para comunicação e, com postagens freqüentes, atende ao caráter de dinamicidade exigido pelos internautas. Abrindo-se a opção de permitir comentários nas postagens, se oferece também o canal de interação e relacionamento com o usuário, permitindo a ele também opinar sobre as informações.

Já para aqueles que preferem ingressar nas redes sociais, é importante estar em uma ou mais redes populares. Criar perfis, mantê-los atualizados e ter em mente como objetivo principal o relacionamento com o cliente e só mais tarde a venda.

“A internet é uma ferramenta que dá muito poder ao usuário. Hoje, no espaço virtual, pequenas empresas podem ter mais acessos que uma grande empresa, só depende da criatividade”. Ingressar na rede mundial de computadores é um investimento que não gera um custo alto para a empresa e pode ser uma excelente estratégia de marketing. Para Cledison, a internet é um meio democrático, que coloca o sucesso e os melhores resultados nas mãos de quem sabe utilizar o meio, de quem sabe inovar e criar.

Opções de Mídias Sociais:

Facebook: É hoje a maior rede social do mundo, com mais de 600 milhões de usuários em todo o mundo. Permite a criação de perfis individuais, mas também páginas ou comunidades para grupos, organizações e empresas. Destina espaço para mensagens, fotos, vídeos e permite a vinculação com o Twitter.

Orkut: Afiliada ao Google, é a rede social preferida dos brasileiros. Tem como foco principal os relacionamentos. Permite a criação de perfis para empresas, com os mesmos recursos dos perfis pessoais, com postagens de fotos, vídeos e envio de mensagens.

Twitter: É um microblog, utilizado por mais 175 milhões de pessoas em todo mundo. A partir da criação de um perfil, essa rede social permite a postagem de mensagens curtas (com até 140 caracteres), inclusive com links para páginas, fotos ou vídeos. Seguidores podem responder e encaminhar as mensagens para outros seguidores.

Youtube: É o maior site de compartilhamento de vídeos do mundo. Permite que seus usuários carreguem e compartilhem vídeos em formato digital, além de possibilitar a disponibilização dos vídeos para postagem em blogs e outros sites.

Formsprig: Uma grande entrevista coletiva. Assim já foi definido o Formspring.me, rede social que permite que os usuários recebam perguntas de outros usuários ou de pessoas não cadastradas. As perguntas são enviadas para a caixa de entrada, de onde o usuário pode escolher entre respondê-las ou excluí-las.

Linkedin: É uma rede social para profissionais, interessados em fazer negócios. Tanto pessoas físicas quanto jurídicas podem se cadastrar e manter conexões. É bastante usada para busca de oportunidades no mercado de trabalho e contratações.

Flickr: Pertencente ao Yahoo, é um site de hospedagem e partilha de imagens fotográficas. Permite a criação de álbuns para armazenamento de fotografias, que podem ser visualizadas, classificadas e comentadas pelos usuários.

Tumblr: É uma plataforma de blogging que permite aos usuários publicarem textos, imagens, vídeo, links, citações e áudios. Os usuários são capazes de seguir outros usuários e ver seus posts em seu painel, podendo opinar e divulgar outros blogs.

Foursquare: é uma rede social e de microblog permite aos usuários indicar onde se encontra e procurar por contatos que estejam próximo desse local.

Broukin: rede social que está sendo desenvolvida pela 13 Bits de Ijuí, é focada no relacionamento entre Empresas, seus clientes e sociedade em geral. Empresas podem criar perfil e compartilhar informações, seus produtos e serviços e interagir com pessoas conectadas.

Slides – Presença das Empresas nas Redes Sociais

Na Feira do Empreendedor 2010, promovida pelo SEBRAE do Rio Grande do Sul, tive a oportunidade de apresentar um painel com o tema “Presença das Empresas nas Redes Sociais”. Falei sobre o cenário atual de Internet, o que nos trouxe até este turbilhão de mudanças, o perfil dos usuário na web, principalmente os jovens, como as empresas podem se inserir de forma qualificada no mundo das mídias sociais, a importância do conteúdo, qual a postura que as empresas devem ter e os caminhos e estratégias a serem seguidas.

Presença das Empresas nas Redes Sociais – Palestra Feira do Empreendedor RS – 2010

Recomendo também este vídeo do Waldez Ludwig, onde ele fala sobre inovação e criatividade, os princípios que devemos ter para gerar inovação de fato, agregando valor a sociedade:

Slides – Midias sociais, tecnologia, internet e inovação

Está difícil de alcançar a regularidade de textos aqui no Blog. Ainda falta a disciplina e o hábito de escrever com frequência.

Bem, aproveito para compartilhar slides de uma palestra apresentada para empresários da área de tecnologia em Ijuí e região.

Nesta palestra foram abordados os temas: mídias sociais e o impacto que estas ferramentas tem causado na sociedade, como os sujeitos e empresas podem fazer parte destas mudanças e as tendências nas áreas de tecnologia e principalmente mídias sociais.

Vídeo criado pelo Reclame Aqui que trata das mudanças nas empresas devido ao novo perfil que consumidores:

A internet mudando o comportamento das pessoas e organizações

Por toda a evolução da humanidade, passamos por longos períodos de extenuação e também por períodos de drásticas e relevantes mudanças, estes últimos, moldaram a sociedade contemporânea em que vivemos. Nos momentos mais importantes ao longo da história, entre os que geraram maiores mudanças, é notável a presença ou surgimento de mecanismos que contribuem para melhoria na forma de comunicação e interação entre a sociedade, podemos citar o surgimento de qualquer forma de linguagem ou idioma, criação da palavra escrita, renascimento e vários outros.

Com as recentes tecnologias, e através delas o surgimento da Internet, é inegável que estamos vicenciando no mundo um período de intensa revolução da informação e comunicação. Não há precedentes para tal revolução, hoje a tecnologia possibilita a qualquer sujeito o acesso instantâneo a todo tipo de informação e ainda permite às pessoas compartilhar conteúdo e se relacionar com pessoas em todos os locais do mundo. Além disso, as pessoas passaram a ter mais poder e voz para se expressar e manifestar suas ideias.

A tecnologia é hoje uma ferramenta ou um meio que conduz a humanidade para mundanças consideráveis nas formas de ação e interação entre os membros da sociedade. Através da Internet tudo se conecta a todos, e os atores deste cenário somos nós, os cidadãos. Em 2011 temos 1,8 bilhões de usuários na Internet, número que vem crescendo continuamente. Além do número de usuário, a tecnologia também vem mudando o comprotamento das pessoas, os sujeitos são ávidos na busca e consumo de informação e também buscam contribuir e interagir neste mundo paralelo chamado Internet.

A Internet se consolida cada vez mais como um eficiente canal de comunicação entre pessoas-organizações-pessoas. Instituições que exploram a Internet em sua potencialidade melhoram seus resultados e aumentam seus lucros. Atualmente, é imprescindível a qualquer tipo de organização possuir algum tipo de inserção na Internet. Mas, além disso, estas entidades precisam estas preparadas para se relacionarem com a sociedade através da internet.

Portanto, podemos concluir que o comportamento das pessoas vem mudando com a Internet, os “internautas” buscam enriquecer suas experiências enquanto sujeitos e melhorar sua qualidade de vida através da rede. As entidades que souberem oferecer a estas pessoas o que elas buscam, e souberem se beneficiar disso, estarão em destaque. No segmento das organizações, as empresas que se adaptarem melhor e mais rápido ao conjunto de mundanças da sociedade, irão se sobressair.

O mundo precisa de mais Nerds e Geeks!

Acontece entre os dias 17 e 23 de janeiro o Campus Party 2011, em sua quarta edição no Brasil, o evento é o maior acontecimento tecnológico realizado anualmente por aqui. Este ano o evento contou com a presença de grandes nomes mundiais como Tim Berners-Lee, o criador da World Wide Web, Jon “Maddog” Hall, presidente da Linux International e Al Gore, ex-vice presidente americano, ganhador do Oscar com Uma Verdade Inconveniente e ganhador do Nobel da Paz em 2007, estes e tantos outros nomes demonstram a importância e abrangência do evento.

O Campus Party já foi ou ainda é (para alguns) um evento que reune um grupo de nerds, para debaterem assuntos como a melhor forma de desenvolver um novo sistema de computador, criar novos jogos virtuais ou discutir as próximas gerações de supercomputadores. Mas felizmente este conceito está cada vez mais distante  na interpretação da sociedade.

Com a participação de  grandes nomes internacionais, políticos de destaque no Brasil, grandes intelectuais, 6.800 campuseiros presentes no acampamento digital e os milhares que acompanham o evento pela Internet, a edição de 2011 do Campus Party tem atraído atenção de todas as mídias e atingindo grande parte da sociedade brasileira.

Além dos temas relacionados à tecnologia, o evento tem, principalmente, abordado discussões acerca dos grandes problemas sociais existentes na humanidade e de que forma cada um pode contribuir para que estes problemas sejam resolvidos. No encontro entre Tim Berners-Lee e Al Gore, sem dúvida o principal da semana, Tim tenta inpirar os campuseiros dizendo: “Apenas 20% da população mundial está online, 80% não usam a internet. Vocês precisam pensar no que podem fazer para transformar também a vida dessas pessoas”, já Al Gore sugere o desafio de melhorarmos nossa educação com a frase: “Já passou da hora da civilização inventar um modelo educacional baseado na pesquisa, onde o aluno é movido pela curiosidade e o professor atua como um guia”. A todos que acompanham o Campus Party, seja presente no evento ou através da Internet, é tocante as discussões e mobilização na direção de como a Internet, e através dela cada um de nós, pode ser relevante e contribuir para mudarmos nossos mundos, na busca de soluções para os grandes problemas presentes em nosso planeta. Sem dúvida esta é a grande mensagem do Campus Party 2011.

Segundo a grande enciclopédia livre mundial, Nerd quer dizer: “termo que descreve, de forma estereotipada, muitas vezes com conotação depreciativa, uma pessoa que exerce intensas atividades intelectuais, que são consideradas inadequadas para a sua idade, em detrimento de outras atividades mais populares. Por essa razão, um nerd muitas vezes não participa de atividades físicas e considerado um solitário pelos seus pares. Pode descrever uma pessoa que tenha dificuldades de integração social e seja atrapalhada, mas que nutre grande fascínio por conhecimento ou tecnologia”. O termo Geek é comumente associado a Nerd, podemos defini-lo como “uma expressão que define pessoas peculiares ou excêntricas obcecadas por tecnologia, eletrônica, e afins. São autodidatas e apaixonados pelo que fazem e pelo que entendem”. Para Richard Clarke a diferença entre Nerds e Geeks é “Geeks fazem acontecer”. Gostaria de adicionar aos termos Nerd e Geek a ideia de que são pessoas que buscam a troca contínua de conhecimento, produzem e compartilham conteúdo, criam tendências e principalmente, se preocupam com o bem estar dos seus iguais. Além disso, buscam através dos recursos tecnológicos discutir e criar soluções que possam contribuir para melhorar o mundo de alguma forma.

Portanto, todos que estajam participando ou acompanhando o Campus Party 2011 são Nerds ou Geeks. Com isso, podemos concluir que estamos precisando muito deste tipo de pessoas em nossa sociedade.

Ainda, considerando o crescimento e inserção que a Internet ganha nas comunidades, em todas as classes e faixas etárias, e principalmente, a chegada das novas gerações, conhecidas como Y e Z e as características que estas trazem consigo, é muito possível que eventos como o Campus Party crescerão muito, com certeza 10.000 ou mais barracas não serão suficientes no CP 2012, como as 6.800 já não foram suficientes em 2011.